3 FATOS SOBRE A POUPANÇA (NÃO IGNORE A #3)

Sejam bem-vindos!

Estamos aqui para falar sobre o  que talvez seja um dos conteúdos mais relevantes que escreverei.

Ele fará parte de uma das formas de acumular patrimônio e ao mesmo tempo um das mais utilizadas pela população.

E pior…..

Talvez você nunca tenha pensado nisso.

Talvez você já tenha mas não deu importância.

Talvez você tenha dado importância mas ficou com preguiça de botar a mão na massa.

Falo hoje da POUPANÇA.

Não poderia deixar de falar dela sem contar alguns fatos que precisam ser mencionados de antemão.

FATO #1: POUPANÇA NÃO É INVESTIMENTO

Já comecei com um fato bem desconfortável, não é?

Imagino a sua reação agora.

“Poupança não é investimento?! É um absurdo!”

ou então….

“Esse cara não sabe o que está falando. Vou sair daqui”

Calma!

Explico…..

Ao contrário do que muitos imaginam, a poupança não tem como característica a de investimento pois o que se obtém é muito pouco (a não ser que você tenha milhões na conta e , se fosse o caso, não estaria aqui no meu blog, certo?).

O termo correto de “investimento” mais apropriado a se falar seria a CADERNETA DE POUPANÇA. Entretanto é pura retórica, ou seja, é uma forma bonitinha de falar a mesma coisa.

A sua função é……POUPAR.

Eu sei. Simples demais!!

Decepcionado?

Frustrado?

Desiludido por achar que falaria algo diferente?

Pois é.

A sua única funcionalidade é autoexplicativa. Seria para guardarmos dinheiro para que possamos fazer algo de melhor com ela no futuro.

Você poderia pensar: ” É melhor deixar lá do que guardar no colchão da minha casa!”

Concordo!

Preferível essa abordagem pois deixa claro alguns fatos tais como:

  • Você evita de gastar o que você recebe, ou pelo menos minimiza.
  • Você pensará no que fazer quando juntar uma quantia maior.
As pessoas tendem a querer parecer complexas para passar a impressão de que são brilhantes, mas se você não é capaz de explicar algo de forma simples, provavelmente você não entendeu nada”. (Morgan Housel)
Infelizmente tudo que é bom tem seu lado ruim.

FATO #2: A POUPANÇA SERÁ INFLUENCIADA PELO PODER CORROSIVO DA INFLAÇÃO

Apresento-lhes meu “amigo”: A INFLAÇÃO.

Deve estar pensando sobre o que significa.

Vou falar sobre ele em um post mais completo mas o que posso devo dele é o seguinte.

A INFLAÇÃO MEDE O PODER DE COMPRA DO SEU DINHEIRO.

” Como assim?”, você pensa.

Deixo uma imagem que resume a situação.

A inflação já deixou sua marca na história brasileira quando houve o período de hiperinflação.

Imagina o seguinte cenário para aqueles que não viveram aquela época.

Os preços dos produtos do mercado aumentam A CADA DIA.

Isso mesmo que você leu.

Vou repetir…..

A CADA DIA!!!!

Alguém poderia dizer…

“Se aumentam a cada dia, eu compraria cada vez menos coisas”.

EXATAMENTE!!

Cada vez que a inflação sobe, seu poder de comprar reduz-se.

Por isso há uma  grande preocupação com a inflação, não só pelos seus efeitos já causados há muitos anos atrás como ele pode influenciar a sua vida.

É terrível saber se vai conseguir comprar algum bem necessário por um preço maior, todo santo dia.

As pessoas não precisam saber o conceito técnico do termo mas sabem o que acarreta para cada um deles.

Enquanto o valor da inflação for maior do que o rendimento da poupança, com o tempo o seu valor diminui.

Explico…

Cem reais há 10 anos atrás continuam com o mesmo valor de 100 reais hoje, nominalmente falando. Entretanto o que você pode comprar com ele não.

Segue a tabela abaixo (fonte Canal do Otário).

Triste, não é?

Uma imagem vale mais do que mil palavras. Bem, acho que daqui a alguns anos uma imagem pode valer menos do que isso.

“Mas se a poupança não é investimento e, além disso, eu perco valor com o passar do tempo, por que diabos eu deixaria lá?”

Essa dúvida é bem compreensível até, dados os fatos acima. Mas garanto que o fato # 3 vai fazer mudar de ideia a respeito dela, mesmo que seja um pouquinho.

FATO #3: POUPANÇA COMO RESERVA DE EMERGÊNCIA

“Seja seguro, mantenha os custos em baixo nível e não pense demais.” (Seth Jason)

Dentre todos o fatos citados acima, creio que esta seria a melhor para mantê-lo lá mesmo que seja uma parte enquanto pensa em oportunidades melhores:

DEIXE-O COMO RESERVA DE EMERGÊNCIA.

Reserva de emergência seria uma forma de cobrir algum tipo de gasto ou evetual despesa em caso de emergência e que não tenha como ser feito em outro tipo de modalidade de investimento.

Nunca se sabe o dia de amanhã e a qualquer hora do dia poderá ser necessário fazer uma retirada. Pode ser usado também para algum tipo de gasto voltado para lazer (p ex. viagens) ou alguma compra supérflua.

Se você estiver iniciando a sua jornada de trabalho ou, ainda, não começou a trabalhar e está ganhando alguma forma de mesada enquanto jovem, creio que a poupança é uma ótima forma de começar a juntar.

É como no ditado popular:

” De grão em grão a galinha enche o papo. (Autor desconhecido)”

Antes de pensar em investir, devemos construir nossa base que servirá de grande valia para a conquista da liberdade financeira.

Seria como montar uma casa.

Você pode utilizar o material da melhor qualidade, contratando os mais capacitados profissionais da área e fazer dela a mais perfeita casa do bairro.

MAS SEM UMA BASE APROPRIADA, ELA IRÁ RUIR SE OCORRER ALGUM DESASTRE QUE SEJA.

Até por que não podemos controlar eventos externos como macroeconomia, governo, política nacional e mundial, inflação e catástrofes naturais.

Então ao invés de nos preocuparmos com tais eventos.

Vamos buscar fazer o que está ao nosso controle.

Ela começa com dois passos simples mas não tão simples assim.

 TRABALHAR E POUPAR.

Poupar também significa fazer uma reflexão do que realmente queremos na vida.

Por exemplo, se você já pensa em querer o melhor investimento mas ainda vive de mesada ou ganha-se muito pouco com seu trabalho, acredito que ainda não seja melhor pensar em investir.

CONCLUINDO

Chegamos ao final do texto. Passamos pelos seguintes pontos:

  1. A poupança de forma geral;
  2.  3 fatos da poupança;
  3. O papel dela como base para a construção de um futuro melhor;

Espero que esse post sirva de informativo para que cada um tome suas próprias decisões. Não posso dizer o perfil de todos mas se eu tiver facilitado a compreensão em pelo menos 1 % já estarei por satisfeito.

Falarei no no próximo post sobre trabalhar.

O QUE VAI FAZER AGORA?

VAI CONTINUAR PARADO?

OU

VAI MUDAR O RUMO DE SUA VIDA?

Além disso deixo a pergunta:

Faltou alguma coisa? Tem certeza que não faltou nada?

Aproveite e deixe seu comentário dizendo se gostou e inscreva-se no meu blog para receber conteúdos atualizados.

Um abraço a todos.

RENDIMENTO POUPANÇA E VOCÊ

Tem medo de começar?

Quer se informar sobre dinheiro mas não sabe onde encontrar?

Até começa mas se entedia facilmente devido ao vocabulário específico?

Fique tranquilo pois hoje falaremos de forma aprofundada sobre a poupança de forma simples e fácil de entender.

Abordaremos, DE UMA VEZ POR TODASo assunto para que possamos dar seus primeiros passos para a sua liberdade financeira e viver de forma tranquila. Continue lendo.

Os tópicos abordados serão:

  •  Utilidade;
  • Regras do rendimento poupança;
  • Conclusão;

SUA UTILIDADE

Podemos explicar a poupança de forma análoga.

Provavelmente vocês já devem ter visto em canais de TV, principalmente em desenhos animados, a figura  bonitinha  do porquinho cor de rosa, não é? Eu já!

A parte peculiar do nosso suíno  é que na parte superior onde compõe seu pequeno corpo consta um furo o qual a sua função é de depositar e moedas dos mais variados tamanhos e valores.

MINHA HISTÓRIA

Falo isso pois já tive o meu porquinho.

Quando eu era garoto meu pai me deu de presente um porquinho de metal e que até hoje me lembro das suas palavras:

“Filho, este porco que estou dando a você é colocar as moedas até que um dia ele fique cheio”

Nessa mesma época recebia alguma mesada do mesmo para que eu o use de forma responsável. Como o presente que tinha recebido tinha valor sentimental, logo eu colocava lá dentro pois fora instruído para isso.

Como era pequeno não tinha muito o que gastar e depois de um tempo colocando, percebi que ele estava lotado e que era impossível adicionar mais.

Ao mesmo tempo, como eu era um amante de videogame, queria usar o capital juntado para comprar. Tive que tomar uma das decisões mais difíceis da minha infância.

TIVE QUE QUEBRÁ-LO!

O DIA FATÍDICO

Fiquei pensando em como deixaria meu pai triste ao saber que iria quebrá-lo. Não sabia como contar a ele.

Também gostava de games, então eram vontades bastante excludentes.

No dia em que contei a ele, ele ficou meio decepcionado mas sabia que uma criança tinha que ter seus momentos de diversão. No final não fiquei tão mal e a situação ficou menos tensa por causa disso. Mas só faltava uma coisa a se fazer: tinha que me despedir do porco.

Quando somos crianças criamos uma forte conexão emocional com coisas sem vida, talvez por termos tido alguma história familiar, talvez por termos recebido um presente de despedida ou talvez decidimos que aquilo seria algo que vale a pena guardar nos nossos corações, seja um porco ou qualquer outra coisa.

Quem nunca guardou algo em um cantinho secreto como se fizesse parte de nós e só nós mesmos conseguimos entender o que ele realmente representava?

Pode ser o objeto mais desgastado e velho do mundo mas não jogamos fora.

Incrível como  também podemos nos desfazer de coisas mais recentes sem rancor e tristeza. Acho que é o nosso lado mais humano guardar as coisas de maior valor.

Nesse dia comprei o que mais queria e me diverti por muito tempo.

Contei essa história para demonstrar algumas coisas que são, até hoje bastante úteis na nossa vida adulta.

  1. Aprendemos a dar valor ao dinheiro;
  2. Criamos o hábito de poupar para que seja utilizado para algo mais importante no futuro, ou seja, juntar mais do que se gasta, conforme explicado em um post anterior.
  3. Analisamos o que é necessário e o que é supérfluo;

Agora vamos falar do que realmente importa: o que ganhamos deixando lá.

OS RENDIMENTOS E AS SUAS REGRAS

Não poderia deixar de falar sobre o que faz a poupança ser tão popular entre as pessoas: o seu rendimento  e a sua “segurança”.

Há alguns anos foi adotado algumas regras na mudança do rendimento poupança, resumido na tabela abaixo.

Ao olhar a tabela acima percebemos que ela perdeu uma de suas vantagens: sua facilidade e simplicidade. Antigamente (até 3/5/2012) adotava-se o seguinte modelo

Regra antiga: 0,5% ao mês (ou 6,17% ao ano) + Taxa Referencial (detalhada aqui)

Para fazer a conversão de taxa mensal para anual>

Fórmula: (1 + taxa anual) = (1+taxa mensal)^12

A conta ficaria: (1+taxa anual)= (1+ 0,005)^12, sendo que o sinal ^ significa uma operação de potencialização.

1+taxa anual= (1,005)^12

Taxa anual: 1,06167 -1 => 0,06167 ou 6,17%

Mas alguém poderia perguntar……

“Mas por que houve essa mudança de regra e, assim, dificultar a vida de todos?”

Simples e resumida em três palavras: A TAXA SELIC

A taxa  Selic que é uma taxa básica de juros e que afeta alguns investimentos no Brasil (na época estava na casa dos 9 %). Em outras palavras, quanto menor essa taxa , menos atrativa é o investimento. Logo para evitar que as pessoas retirem seu dinheiro de lá, foi necessário fazer a mudança. O Resultado foi:

  • Selic > 8,5% ao ano =  regra antiga
  • Selic < 8,5% ao ano =  70% Selic + Taxa Referencial

No momento em que escrevo (20/7/2015) essa taxa se encontra perto dos 14% ao ano. Percebe-se que há uma tendência oposta.

As pessoas estão tirando seu dinheiro da poupança pois observam outras formas de aplicar o dinheiro com bons olhos. Em consequência disso, em 2014 (portal G-1):

E olha só o que acontece em 2015 (5 de fevereiro) conforme a taxa Selic aumenta (fonte: portal de economia G1):

Dado o cenário atual (crises em vários setores econômicos e desempregos a índices crescentes), observa-se um movimento mais que natural de retirada de capital.

Percebeu lá em cima que coloquei a palavra segurança entre aspas?

O que quero dizer com isso é que NENHUM investimento é seguro de risco pois podem sofrer influências externas sem que você tenha algum controle.

Veja o caso da Grécia, por exemplo:

Para não entrar muito em detalhes, o que aconteceu no país europeu foi simplesmente uma gastança de forma irresponsável do governo, o que elevou a sua dívida de tal forma que chegou a valer quase o dobro do seu PIB.

Os bancos resolveram decretar fechamento por alguns dias (fonte coluna G1 do site Globo).

Imagina você ter seu dinheiro bloqueado pelo banco.

Depois de tantos esforços para conquistar seu suado capital, você fica impossibilitado de sacá-lo.

Como você se sentiria nessa situação?

Desesperado, eu imagino.

Que controle o povo grego tinha da situação?

Será que eles sabiam do fechamento dos bancos?

Dúvido!!!

Agora não podem sacar mais do que deveriam. Nem a poupança escapou dessa.

 O QUE FAZER ENTÃO?

Mas antes que você termine a leitura e saia desesperado ao banco e fazer seu saque, tenho alguns conselhos para os que chegaram atrasado na notícia.

  1. NÃO SE DESESPERE!! A economia dos países sofrem de ciclos: Um dia ela se torna atrativa, outro dia todos querem sair dela.
  2. Para aqueles que ainda estão encontrando uma forma fácil de juntar dinheiro e render uma graninha, sugiro que deixe seu dinheiro lá até ter uma grande quantia de dinheiro para alcançar investimentos mais ousados.
  3. Para aqueles que já investem, então não faz diferença pois A POUPANÇA NÃO É A MELHOR FORMA DE INVESTIR.

CONCLUINDO: O QUE TIRAR DESSA LEITURA?

Para concluir, vimos que a poupança é uma das formas mais tradicionais e conhecidas de se juntar o que sobra no final do mês.

Com ela, vimos e calculamos o rendimento poupança, dependendo da data em que foi feito o primeiro depósito, seja pela regra antiga ou pela regra nova.

O que cada um vai fazer com a poupança vai depender do momento em que a pessoa está no que diz respeito a grana ( se sobra ou se falta) e o também do ciclo econômico do país em questão.

Independente da situação, espero que você se comprometa a juntar mais e mais sempre, para que possa tomar decisões mais racionais e corretas para sua ocasião de vida. Deixo uma pergunta a todos.

O QUE VOCÊ PRETENDE FAZER AGORA?

VAI POUPAR OU VAI GASTAR?

Se gostou desse artigo, deixe um comentário dizendo como posso melhorar o conteúdo. Quem determina o que vai ser escrito são vocês. Além disso, se inscreva no meu blog e receba antes de todos, o próximos conteúdos.

Um abraço a todos!