EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA SEUS FILHOS (P.T 1): OS VALORES

EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA SEUS FILHOS (P.T 1): OS VALORES

junho 4, 2021 0 Por odinheirista

Olá Leitor!

Você está enfrentando um período difícil para a economia brasileira. Preços aumentando, a qualidade do serviço diminuindo e a inflação não para de crescer. Além disso, a maioria do povo brasileiro não tem desejo de se aprofundar em temas de vital importância para a vida cotidiana. E não somente isso, existe uma dificuldade quase intransponível em lidar com a educação financeira para seus filhos.

Não há incentivo nas escolas, pois a maioria não  a disponibiliza em seus currículos. E para piorar, você ainda tem um filho que depende de você.

Então como você vai lidar com ele, quando for falar de dinheiro?

Sabe como começar?

Você é o exemplo que o seu filho quer se espelhar?

Se você não conseguir responder essas perguntas, fique tranquilo pois nesse post você acompanhará passo a passo sobre como ensinar temas relacionados ao dinheiro para seus filhos. Você aprenderá desde o valor da grana até a importância do caráter humano, que exercerá um papel fundamental para a vida adulta quando estiver em sociedade.

Nesse post abordaremos a primeira parte para falar de dinheiro ao seu filho: Os Valores Pessoais

Vamos a elas?

1) EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA SEUS FILHOS = VALORES PESSOAIS

“Há quem não vale 1 centavo e há quem vale mais do que o mundo pode oferecer. A moeda é a mesma, o que muda são os valores”

Antes de falar sobre qualquer tema relacionado ao dinheiro, primeiramente você precisa ensinar valores sólidos. Essa é a chave para a verdadeira educação financeira plena. O maior presente que você pode dar aos seus filhos são os princípios e virtudes. Você vive em um mundo cujos valores estão sendo deixados de lado, seja pelas pessoas ao seu redor, seja pela mídia, seja pela cultura imediatista ou pela satisfação instantânea.
Os valores refletem seu desejo, necessidades e o que você mais prioriza em sua vida. Eles são o que te move em direção a uma pessoa melhor, pois sua identidade determina as suas escolhas, além de estar em contato com seu verdadeiro eu.

COMO FAZER?

Primeiramente, você deve ter um tempo reservado, pois acredito que você possa refletir melhor enquanto não está sendo influenciado por agentes externos e que tira a sua concentração. Desligue o telefone, ouça uma música que te faça ficar mais calmo e que consiga manter a sua atenção no presente. Depois disso, faça a seguinte pergunta a si mesmo:

“O QUE EU MAIS VALORIZO?”

A partir dessa resposta, você saberá o que ensinar ao seu filho, não somente através das palavras mas de exemplos práticos. Muitas das vezes, sua resposta será mais ou menos como será listado abaixo (menciono sob uma forma geral.

1) A FAMÍLIA

A família é uma base essencial para o desenvolvimento de toda vida do seu filho e de quem quer que seja. Quando me refiro a família, falo de todas as pessoas de que você conhece durante seu tempo em vida nessa terra: amigos(as), parceiros (as), colegas, conhecidos de todos os meios possíveis. É claro que a sua família biológica não pode ser deixada de lado.

Os laços familiares moldam o que poderia ser descrito como um instituição sagrada, e que é a mola propulsora da vida como humanidade. Nunca se esqueça de ensiná-lo sobre como tudo começou e para onde ele gostaria de ir. Sem contar o que significa o sacrifício, a entrega, a dedicação e, não menos importante, o AMOR a ele.

2) UMA VIDA DIGNA

“Se você agir sempre com dignidade, talvez não consiga mudar o mundo, mas será um canalha a menos” (John Kennedy)

A dignidade é umas das melhores escolhas que você, independentemente da idade, cor de pele ou sexo, pode fazer. Avançar sempre, sem medo do que irá acontecer, além de viver bem, de cabeça erguida, sempre aprendendo com os deslizes e fracassos temporários.

Dignidade não é somente fazer a coisa certa sempre, mas  também assumir a responsabilidade quando toma uma atitude errada. Com a experiência que a vida lhe trará, esse valor vai ficando cada vez mais fácil de assimilar.

Dado que o brasileiro possui um tremendo vício em culpar os outros pelos seus problemas, esteja ciente de que esse tipo de comportamento é nociso e até contagioso. Eventos externos, de fato, não estão ao seu controle como crises econômicas, desemprego, inflação ou o PIB, mas você NUNCA pode esquecer que existe o que você pode controlar e melhorar, apesar de todos os obstáculos impostos a você.

Mesmo que seja um valor que só fará sentido mais a frente, explicar esse valor, muito desvalorizado em terras tupiniquins, será de suma importância. Dignidade é como uma semente, que plantada em solo fértil só crescerá depois de muito tempo cultivado. Portanto quanto antes ensiná-lo, melhor será a eficácia.

3) SER FIEL (OU LEAL) AS PESSOAS E AOS COMPROMISSOS FEITOS POR VOCÊ

“Fidelidade é ser agradecido, não somente com o coração, mas, principalmente, com as ações” (Beatriz Canseco)

Fidelidade vai muito além da vida amorosa com seu escolhido. O que me refiro aqui são aos princípios, crenças, seja no sucesso pessoal quanto no profissional. A fidelidade possui um poder tão impactante que ela, por si só, leva muitas pessoas ao mesmo comportamento. Quando se alcança essa fidelidade, você se torna fiel perante aos olhos que convivem com você.

Cabe ressaltar aqui que você encontrará indivíduos que não dão o menor valor a esse tipo de atitude. É seu dever mostrar ao seu filho em que momentos isso ocorre, além dos exemplos práticos. É muito comum a expressão “malandragem”, ” malícia” ou “maldade” pois são formas de alguém passar por cima do outro.

Essas indivíduos não só não querem ver você triunfando como também usarão a fidelidade contra você para fazer chantagens pessoais. O jeitinho brasileiro é puramente uma forma de explorar aqueles que “não possuem experiência de vida” que nada mais é do que aqueles com um bom coração e respeito ao outro.

Esteja ciente desses cenários, pois será impossível para seu filho evitá-los. Ele será prejudicado em algum momento, pois sempre depositamos nossa confiança na pessoa errada. Acontece com todo mundo, saber que nos foi dado as costas quando mais precisamos de alguém.

Sabe do que estou falando, não é?

Aquela sensação de ter sido enganado durante um bom tempo. Você ainda se pergunta como não percebeu isso antes. Sentimentos de revolta e desconfiança são bastante comuns.

Saiba que isso é normal e você não possui um detector de maldades. Mas isso não quer dizer que você deva blindá-lo das experiências ruins desse mundo. Ensine-o a minimizar esses eventos e também o que fazer caso tenha a infelicidade dele ser uma vítima, sem esquecer do poder da responsabilidade pessoal.

4) A FÉ

Eu poderia citar a fé como religião porém como existem muitos tipos, geraria muita controvérsia e polêmica. Além da fé religiosa como um todo (independentemente do que você acredita), você deve ensinar a fé no sentido de alcançar seus objetivos, seguir princípios, haja o que houver.

Não é atoa que dizem que a fé move montanhas. Podemos dizer que a fé é possuir uma força de vontade para tentar de novo e passar por cima dos desafios. Muitos bem sucedidos em qualquer área que seja, possuem a fé como um dos seus pilares.

Pode parecer cliché, mas nada como exemplificar a fé como na cena do filme Rocky, em que ele ensina o seu filho o poder de persistir e continuar tentando. Não é atoa que o personagem era o mais popular entre os cidadãos do filme por possuir, não somente humildade, mas por ser o arquétipo da resiliência (capacidade de resistência perante as dificuldades) e superação.

5) HONESTIDADE

“Honestidade é um presente muito caro. Não espere isso de pessoas baratas” (Warren Buffet)

Volto novamente a falar do exemplo brasileiro, pois dizem que os políticos são o reflexo do povo e infelizmente tenho que concordar. A desonestidade dos que nos representam nada mais é do que o espelho das nossas atitudes enquanto vivemos em sociedade.

Poderia dizer que é um valor em extinção, mas isso não deixa de ter importância na vida do seu filho. O sucesso também está relacionado a esse valor. Para início de conversa, ser honesto com você mesmo, é ser honesto com os outros a sua volta.

Ser honesto não vai resultar necessariamente em recompensas positivas e que beneficiarão você o tempo todo. Haverá momentos em que ser honesto representará a perda de um emprego, a perda de uma amizade ou um possível desentendimento com seus amigos e colegas de trabalho.

Apesar de desagradável, nada como você poder dormir bem a noite sabendo que fez o que no fundo seu coração diz ser o certo, mesmo que seu lado lógico diga o contrário. Não estou querendo dizer que usar a lógica é errado, entretanto é imperativo ponderar os cenários e tomar a melhor decisão possível (sem esquecer de ser o responsável por elas quando for o caso).

6) SEJA GRATO

Para ser grato, não é necessário ter tudo para ser uma pessoa feliz mas agradecer por ter tudo aquilo que você tem hoje. Muitos pais decidem dar para os seus filhos justamente o que eles não tiveram quando eram pequenos.
Por isso, seja sempre grato ao que foi dado a você e ensine-o o poder do mesmo, caso contrário, você nunca estará satisfeito com o que tem. E pior, você sempre exigirá mais por não conseguir preencher um vazio existencial.
Apesar do foco do blog ser de finanças pessoais, a gratidão não pode ser comprada pelo dinheiro. Você deve se sentir grato por todos os acontecimentos da sua vida, desde a comida que você come até a roupa que veste. Lembre-se que muitos não tem metade da condição financeira para viver uma vida normal, vide os deficientes físicos.
A gratidão tornará a sua vida mais rica e com mais sentido para seguir em frente. Cultive-o e veja seu filho se desenvolver em um grandioso ser humano. Para enriquecer, você deve ENGRANDECER SUA ALMA.

7) RESPEITAR O PRÓXIMO

Não se esqueça de que você deve sempre respeitar os outros, não importanto a idade. Além disso, respeitar os objetos dos outros e devolvê-los quando não for seu. Respeitar o que é dos outros é respeitar o que é seu por tabela.

“Achado não é roubado” é justamente a antítese do respeito, pois o que mais importa para essas pessoas são os interesses egoístas acima do próximo. Ensinar a educação financeira aos seus filhos passa por este incrível valor. Tenha zelo, sempre e tenha responsabilidade de cuidar do que não for seu.

Entenda que para alguém que encontra um item alheio, existe outra pessoa preocupada por ter pedido algo quase inestimável. Pense que esse objeto pode ter valor sentimental que vai além de qualquer valor monetário. Caso não encontre seu dono, encaminhe para uma instituição de achados e perdidos.

De nada adianta reclamar dos políticos se, na primeira oportunidade, você pega o que não é seu e não devolve ao seu legítimo dono. Também não adianta falar mal dos outros pois somente com o exemplo individual é que convence o outro a fazer o mesmo.

Não use como desculpa frases como ” mas o outro também (não) faz, então (não) vou fazer” ou ainda ” é por causa dos corruptos, que o país não avança”. Uma frase que pode resumir esse valor é o seguinte:

“O CERTO CONTINUA CERTO MESMO QUE NINGUÉM FAÇA, ENQUANTO QUE O ERRADO CONTINUA ERRADO MESMO QUE TODOS FAÇAM”

8) A PACIÊNCIA (AINDA) É UMA VIRTUDE

Você provavelmente vê uma geração hoje mais impaciente do que nos tempos dos nossos pais e avôs. Isso está, na boa parte das vezes, relacionado ao gerenciamento de expectativas e resultados.

Muito comum encontrar pessoas que ficam insatisfeitas com seu trabalho, mesmo estando nela há menos de um ano. Existe uma pressão enorme sobre as gerações seguintes e fazer sempre o melhor a todo instante e não poder cometer erros.

O resultado é uma série de problemas de autoestima e de frustração pessoal por não trazer a sua expectativa para o campo da realidade. E não poderia deixar de mencionar o poder do consumismo e do marketing voltado para o incetivo do seu desejo de comprar impulsivamente, dia após dia.

São dezenas de mensagens subliminares te “dizendo” que deve adquirir isso ou aquilo, pois é informado a você que, sem esse objeto, a sua vida não será a mesma. Veja que há sempre a incitação da incapacidade alheia em ser melhor do que fulano ou ciclano, gerando energias negativas.

Boa parte das vezes você acaba adquirindo o que você não tinha planejado em comprar, comprometendo todo seu orçamento financeiro. Não seria surpresa dizer que boa parte do endividamento do brasileiro tem como causa a criação de expectativas e frustrações exageradas. Parece que há um mercado voltado para o fracasso alheio.

Não estou dizendo para você não comprar supérfluos, porém tenha certeza de que não irá afetar seu planejamento financeiro trabalhado com tanto suor e empenho.

9) A CARIDADE

Você deve ensinar aos seus filhos o poder da caridade. Além de fazer uma pessoa feliz, você terá um sentimento de realização e satisfação pessoal que vai muito além de uma promoção no emprego. Prezar pelo outro é também uma forma de engrandecimento, que o dinheiro não compra.

Existe uma frase bastante peculiar de que “o dinheiro torna as pessoas gananciosas”. Creio que a pessoa que disse isso não sabia lidar bem com o dinheiro que tinha, então resolveu projetar o seu fracasso na mente das outras pessoas. A frustração também é contagiosa e poderosamente negativa.

Entenda que o dinheiro potencializa o caráter de quem o tem. Se você é uma pessoa genuína e bondosa, o dinheiro aumentará essas qualidades pois agora você terá poder para ajudar. Por outro lado, se você é mesquinho por natureza, não é com dinheiro que você se transformará em anjo imaculado.

Curiosamente, os bilionários são adeptos a filantropia. Inclusive muitos deles prometeram doar boa parte do seu patrimônio para instituições de caridade antes de morrerem.

Quem foi mesmo que falou que o dinheiro é o mal da humanidade?

A caridade vai muito além do dinheiro. Você pode doar o seu tempo ensinando, divulgando seus valores e princípios para o seu filho, que retornará com a mesma caridade a qual você depositou nele.

Se você olhar com atenção, em uma família rica terá sempre alguém que começou pobre. É a natureza do ser humano, sem sombra de dúvida. A pobreza sempre existirá em tempos de sociedade livre. É através da superação pessoal que você sai dessa condição para uma outra em que você possa mudar a vida dos que estão próximos. Em uma família endinheirada sempre haverá alguém que possui a gratidão como valor.

CONCLUSÃO

Chegamos ao final da primeira parte em que foi abordado o poder dos valores para a educação financeira para seus filhos. Neles, mencionamos:

  1. A família
  2. A vida digna
  3. Ser fiel
  4. Ter fé
  5.  A honestidade
  6. Gratidão
  7. O respeito ao próximo
  8. Paciência (ainda) é uma virtude
  9. A caridade

Aprenda que o dinheiro é somente uma manifestação do seu interior. Desenvolva no seu filho a capacidade para ser uma boa pessoa, para que no futuro você possa se orgulhar dele.

O que achou? Você se relaciona com algum destes acima?

Deixe seu comentário acerca da sua opinião e o que poderia ter sido adicionado. Mencione também que tipo de valores está ensinando aos seus filhos. Curta e compartilhe o blog nas redes sociais, clicando logo abaixo. Te vejo na segunda parte.

Abraços a você e bons investimentos.